Para saber qual plano de previdência é mais coerente para suas finanças, deve ser definido o regime tributário e o tipo do contrato. Existem dois formatos de planos. 

Um PGBL (Plano Gerador de Beneficios Livres) é indicado para quem declara imposto de renda pelo modelo completo. Essas pessoas podem deduzir da base de cálculo de imposto até 12% da renda tributável. Atente-se, até 12% da renda! 

O VGBL (Vida Gerador de Beneficios Livres) é indicado para quem utiliza declaração simplificada ou são isentas, e/ou investem mais que 12% de sua renda. Esse modelo não tem abatimentos no Imposto de Renda.

Então qual a principal diferença entre eles? A tributação do PGBL incide sobre o valor resgatado (ou seja, das aplicações e dos rendimentos), enquanto um VGBL incide apenas no ganho do investimento. Por exemplo, você aplicou R$200 mil num PGBL que agora soma R$450 mil. A tributação no resgate é sobre o valor total, de R$450 mil. A tributação de um VGBL seria sobre os rendimentos, ou seja, R$250 mil. 

Isso significa que o VGBL é melhor, certo? Muitas vezes sim. Até porque pessoas com maior renda podem poupar mais do que 12% da própria renda. Nessas condições poderia ser interessante um misto entre PGBL e VGBL. A análise de um bom gestor deve levar em conta mais do que o modelo tributário e renda do cliente.

Encontrou sua resposta?